Especialista da OEA fala sobre consumo seguro e Saúde na Anvisa

Cerca de 36 milhões de pessoas no mundo, no último ano, foram vítimas de algum tipo de agravo provocado pelo consumo de produtos sem segurança. Deste total, 34,5 mil pessoas morreram em consequência desses agravos. A informação foi dada hoje pela especialista Evelyn de Lovo, da Organização dos Estados Americanos (OEA), em visita à Diretoria Colegiada da Anvisa.

A especialista da OEA é uma das palestrantes do curso ministrado na Anvisa sobre Consumo Seguro e Saúde. De acordo com Lovo, nos últimos anos a OEA emitiu 100 mil alertas sobre os riscos representados por vários produtos. Segundo ela, as categorias que representam maior risco são aquelas formadas por artigos para crianças, veículos e equipamentos eletroeletrônicos.

Segundo ela, 70% desses alertas têm origem em países da Europa, onde a Rede Consumo Seguro e Saúde está mais organizada. Nas Américas, os alertas representam cerca de 14% deste total.

O adjunto de diretor Neilton Araujo informou que os serviços de saúde serão orientados a preencher um formulário informando quando o agravo é provocado pelo uso de algum produto.

O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, agradeceu a visita e destacou a importância do trabalho para a prevenção de agravos à saúde.

Fonte: Imprensa / Anvisa